24.2.10

Gostaria de mencionar à homenagear uma coisa não palpável, porém parte intensiva de nossa vida e um dos principais motivos pelo qual dormimos, nos alimentamos bem, e evitamos drogas variadas.

Você, minha cara, que se guarda. Mas, todavia, dependendo de onde é guardada, sofre modificações extraordinárias.

Existes baseada em fatos reais, surreais, oníricos, conscientes e inconscientes.

Costumas tu, ser uma das maiores atrações de um divã terapeuti-psicológico. Justamente como és ali colocada, nos diz muito a respeito de nossas personalidades, e de como tomamos para nós, fatos que recebemos.

Podes ser tão superficial, e tão profunda. Organizadora de fatos, és a grande base do "tal passado que nos fez quem somos hoje".

À tu, simpática memória. A mesma que às vezes nos falha quando queremos mencionar aquele nome específico daquele ser humano que é marido daquela outra ser que fez aquele filme que tem um cara que canta aquela música, és ainda a que costuma transparecer quase totalmente quem cada um de nós realmente é.

Amém.

2 comentários:

Daniel Araujo disse...

Lindíssimo. Sempre bacana contar com diversos e excelente escritores.

RMGoncalves.WordPress disse...

Tens um talento inegável para escrever na segunda pessoa; algo tão incomum de ouvir e tão gostoso de ler.
Parabéns! ;-)